O novo coronavírus está a mudar hábitos e comportamentos. Aconselhados pelas autoridades a ficar em casa, são muitos os portugueses que temem perder a calma durante o período de isolamento recomendado. Nesta fase, como sublinham muitos psicólogos um pouco por todo o mundo, é normal que inúmeras pessoas, confrontadas com esta nova realidade, possam sentir-se tristes, ansiosas, confusas, assustadas, frustradas ou até zangadas com a situação.

"Para manter a calma, tente manter as suas rotinas e atividades habituais, bem como uma atitude positiva. E aproveite para fazer algumas das coisas para as quais não costuma ter tempo", aconselha a revista Prevenir, num artigo que reúne as estratégias apontadas pela Ordem dos Psicólogos Portugueses. Procurar manter a normalidade numa época de pandemia é um dos conselhos dos especialistas deste organismo mas existem outros que o poderão ajudar.

1. Mantenha as suas rotinas habituais

Dentro do possível, faça o que costumava fazer nos dias de antigamente. Levante-se à hora habitual, faça a sua higiene matinal, vista-se e faça as refeições a horas. Se for praticável, trabalhe a partir de casa. Nesse caso, procure manter os mesmos horários de trabalho, alimentar-se às mesmas horas e até fazer as pausas que costuma fazer habitualmente. Se não tiver ninguém em casa para conversar, ligue a familiares, amigos ou até colegas.

2. Não tenha receio de pedir ajuda

Se se sente desconfortável com esta nova realidade, não entre em desespero. Procure acalmar-se e não tenha medo de pedir auxílio. Se o fizer, sentir-se-à mais tranquilo. Assegure-se que pede ajuda e que fala sobre o que o preocupa para se sentir seguro e confortável. Se não quiser ligar logo para um especialista, contacte telefonicamente alguém próximo e fale de tudo, incluindo medicamentos, compras, produtos de higiene pessoal e/ou meios de comunicação.

3. Mantenha o contacto com amigos e familiares

Somos seres sociais e necessitamos dessa sociabilidade para a nossa normalidade. Falar com pessoas de quem gosta e em quem confia é uma das melhores formas de reduzir a ansiedade, a solidão ou o aborrecimento durante o período de isolamento, o que ajuda a manter a calma. Por isso, use o telefone, o e-mail, as mensagens e as redes sociais para permanecer em contacto com amigos, colegas familiares. Fale cara a cara através de videochamadas.

4. Realize atividades de que gosta e relaxe

Lá por estar fechado em casa, também não precisa de se sentir como se estivesse numa prisão. Aproveite o (maior) tempo livre para ler um livro, ouvir tranquilamente um disco e/ou (re)ver filmes, séries ou os seus programas de televisão favoritos. Envolva-se em atividades e tarefas que lhe deem prazer e tranquilidade, como é o caso da jardinagem. Aproveite ainda a oportunidade para fazer arrumações e outras coisas para as quais não costuma ter tempo.

5. Mantenha-se esperançoso e confiante

Apesar das últimas notícias serem alarmantes, também começam a sugir informações sobre doentes infetados com o novo coronavírus que já se conseguiram curar, o que acaba por reacender a esperança. Fale sobre a sua experiência e os seus sentimentos com amigos, familiares ou profissionais de saúde. Confie nas suas capacidades para lidar com situações adversas, nos profissionais de saúde e recorra às estratégias que costumam resultar consigo em situações difíceis.

Utilize-as para lidar com as suas emoções nos momentos mais desafiantes deste surto. Tal como lidou com outras situações difíceis no passado, também será capaz de lidar com esta, como defendem inúmeros psicólogos e psiquiatras um pouco por todo o mundo. Tenha uma visão crítica relativamente às informações que encontra e limite a exposição a notícias que possam aumentar a sua ansiedade e preocupação durante esta fase de isolamento.

6. Aposte num estilo de vida saudável

Se tiver de ficar em casa, mantenha um estilo de vida saudável. Faça uma alimentação equilibrada, cumpra os períodos de sono e descanso adequados e mantenha a atividade física, que também o vai ajudar a relaxar. Pode, por exemplo, praticar alguns exercícios no chão de uma das divisões da sua casa, dançar ou fazer ioga, repetindo gestos simples como a da saudação ao sol, uma das posições que milhares de praticantes repetem quotidianamente.

Por outro lado, também não fume e não consuma bebidas alcoólicas nem drogas na tentativa de lidar com as suas emoções. Ainda que esses comportamentos, numa primeira fase, o possam acalmar, a realidade é que, com o passar do tempo, só terá mais problemas. Se se sentir muito angustiado ou demasiado perturbado, fale com um profissional de saúde. Ligue para o SNS 24 através do número de telefone 808 24 24 24 e siga as recomendações dadas.

7. Seja (mais) crítico em relação à informação

Lá por estar em isolamento forçado, também não precisa de virar as costas ao mundo. Procure estar atualizado sobre o que se passa, mas não acredite em tudo o que lê ou ouve e muito menos no que lhe aparece à frente através das redes sociais. Tenha uma visão crítica relativamente às informações que encontra e limite a exposição a notícias que possam aumentar a sua ansiedade e preocupação, como é o caso das que envolvem a atual pandemia de covid-19.

Uma vez que a cobertura mediática pode criar a impressão de que existe um perigo e um risco maior do que aquele que realmente existe, dê preferência a fontes fiáveis, como é o caso da revista Prevenir. Valorize os dados disponibilizados por instituições oficiais, como a Direção-Geral da Saúde, o Serviço Nacional de Saúde e a Organização Mundial da Saúde. No entanto, consulte-as apenas uma a duas vezes por dia. Nunca mais do que isso!