Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Girls can !!

Lifestyle

Lifestyle

Girls can !!

13
Ago17

12 DICAS PARA POUPAR DINHEIRO EM VIAGENS!!!


Cátia Sofia Santos

Uma viagem não é, tipicamente, um momento propício à poupança, mas se seguir estas nossas dicas, conseguirá planear a sua próxima viagem da forma mais económica possível, mas sem poupar em experiências e divertimento.

 

 

1. Ganhe uma folga orçamental para viajar

Antes mesmo de planear a sua viagem, reavalie a sua situação financeira. Se tem créditos a pesar-lhe na consciência a retirarem espaço de manobra para planear uma grande viagem, leia este artigo antes de prosseguir no planeamento e dê os primeiros passos rumo à reestruturação ou consolidação dos seus créditos.

2. Viaje fora da época alta

Este é uma dica óbvia, mas que convém sempre lembrar. Não se esqueça de que a época alta varia de destino para destino.

A época alta é, geralmente, a melhor época (do ponto de vista do lazer e do conforto) para viajar para um local. Por exemplo, se quiser ir às Maldivas, talvez prefira ir de dezembro a março, já que é a altura mais seca do ano (sendo que a partir dessa altura o clima é mais húmido e chuvoso).

 

 

 

Por outro lado, viajar em meses de “época baixa” permite poupar, por vezes, 50% do valor total e é menos provável ter que lidar com verdadeiras enchentes de outros grupos de turistas onde quer que vá.

3. Veja preços de viagens em sites de comparadores de tarifas

Não vale a pena ir a correr (figurativamente) ao site da Ryanair ou da Easyjet. Veja os preços num site comparador de tarifas de voos. Quem sabe se não encontra voos ainda mais baratos em companhias aéreas que ainda não conhece?

Alguns desses comparadores são, por exemplo o eDreams, Momondo, Skyscanner, Dohop e Vayama.

4. Viaje a horas pouco convencionais

Se vai viajar de férias e não em trabalho, considere escolher um voo a horas pouco convencionais. Normalmente são bem mais baratos.

5. Tenha em conta a escolha do alojamento (há várias opções!)

A escolha mais lógica e instintiva continua a passar os hotéis, embora se recorra cada vez mais aos hostels e pousadas da juventude (youth hostels).

Se se decidir por um hotel, escolham um em que o pequeno-almoço esteja incluído. Já é uma grande ajuda nos custos totais da viagem.

Sites como o Airbnb oferecem também uma alternativa valiosa aos hotéis. Ficar num apartamento é uma boa forma de viver como um habitante local e, para além disso, como têm cozinha, pode sempre cozinhar algumas refeições e, com elas, poupar muito dinheiro em alimentação durante a sua viagem.

A gastronomia é uma excelente forma de ficar a conhecer melhor as tradições e costumes de um país, por isso guarde algumas refeições mais especiais para fazer em restaurantes locais (veja as apps sugeridas no ponto 8 para se certificar que não ultrapassa o seu orçamento).

Outros tipos de alojamento aconselhados para quem quer poupar dinheiro poderão passar por pet sitting, couchsurfing, troca de casa e acampar.

Sites úteis para arranjar alojamento mais barato e viajar de uma forma alternativa (aconselha-se uma mentalidade aberta para viajar de acordo com alguns destes sites):

  • http://www.airbnb.com/
  • http://www.trustedhousesitters.com/
  • http://www.workaway.info/
  • http://www.trocacasa.com/pt/
  • http://www.couchsurfing.com
  • http://homelink.org/en/
  • http://www.homeaway.pt
  • http://www.homelidays.com

6. Faça compras no supermercado e cozinhe as suas próprias refeições ou coma com habitantes locais

Esta dica prende-se com o tipo de alojamento que escolher.

Se preferir comer com habitantes locais para poupar dinheiro e conhecer pessoas e uma cultura novas, dê uma olhada no site Eat With a Local.

7. Antes da viagem pesquise por atracções e eventos grátis

Se procurarmos bem, existem atrações grátis em todas as cidades, sejam museus, festivais de rua, feiras de artesanato local e até mesmo actuações musicais e teatro. É tudo uma questão de procurar bem e/ou de manter os olhos e ouvidos bem abertos quando lá estamos no nosso destino de eleição.

8. Arma-se com as melhores apps

É verdade, as apps podem ser uma arma muito eficaz contra os gastos desnecessários e exagerados.

Recomendamos, por exemplo:

  • Boonzi, para controlo dos gastos em viagem e análise dos mesmos após a viagem
  • XE Currency - é sempre bom fazer a conversão do dinheiro para sabermos quanto estamos realmente a gastar.
  • WhatsApp - para mandar mensagens grátis e manter o contacto com a família e amigos durante a viagem, ocasionalmente para partilhar - por exemplo - fotos e vídeos.
  • Zomato / The Fork - Estas duas apps são um must no que diz respeito a poupar dinheiro em refeições, tanto “cá dentro” como “lá fora”. Enquanto que na Zomato poderá ver ementas de restaurantes e avaliar se vai de encontro ao seu orçamento, no The Fork poderá mesmo ter a sorte de encontrar promoções em alguns desses restaurantes. Estas apps não existem em qualquer país, mas nada que uma pesquisa prévia não informe. Em alternativa, veja quais são as apps equivalentes a estas no país para onde vai viajar.

Veja também: Como poupar dinheiro em refeições no trabalho e em restaurantes

9. Antes da partida, leia os regulamentos da(s) companhia(s) aérea(s) pela qual vai viajar

Escusa de pagar 50 ou 60€ por uma mala que não sabia que podia levar consigo na cabine (dentro do avião). Saber a priori quantas malas pode levar sem pagar é sempre uma boa ideia. E, já que está com “a mão na massa”, veja também os objectos que pode ou não transportar, capacidades máximas de produtos de beleza/higiene, etc. Ou seja, evite desperdícios de produtos e dinheiro ao máximo.

10. Crie um orçamento

Se quer mesmo controlar os seus gastos em viagem e regressar sem arruinar completamente as suas finanças, crie um orçamento. Ou seja, estabeleça, um limite para gastar em viagem. A partir daí, resta-lhe fazer escolhas acertadas sobre no que vale mesmo a pena gastar o dinheiro.

11. Arranje imediatamente um mapa assim que chegar ao seu destino

A maioria dos aeroportos, hotéis e hostels têm mapas da cidade gratuitos à disposição dos turistas. A vantagem de olhar para o mapa é, por exemplo, evitar apanhar um táxi por impulso. Olhando para o mapa logo saberá se se trata de uma distância facilmente percorrível a pé ou não. O desconhecimento leva-nos, muitas vezes, a ter mais despesas.

12. Enquanto está ausente alugue a sua casa

Já pensou em rentabilizar o seu apartamento enquanto está ausente? É sempre uma opção viável para conseguir recuperar parte do dinheiro que investiu na sua viagem. Se está a pensar ir por esta via, não deixe de ler o nosso artigo sobre as 6 dicas para arrendar a sua casa a turistas e atrair mais hóspedes através do Airbnb.

Esperamos que a sua próxima viagem seja inesquecível e que consiga poupar o suficiente para começar a planear a seguinte.

12
Ago17

10 DICAS PARA QUEM TRABALHA EM CASA!!


Cátia Sofia Santos

Há quem adore este método e quem não se consiga organizar com o facto do local de trabalho ser a própria casa, por isso conheça os melhores truques para trabalhar a partir de casa da forma mais organizada possível.

 

 

Por vezes não é fácil trabalhar a partir de casa, e quem o faz sabe disso. Estar no conforto da nossa casa pode por vezes causar preguiça e falta de vontade para trabalhar. Portanto o mais importante é criar uma rotina e organização de forma a que a preguiça não ganhe. Aqui deixamos-lhe 10 dicas para a sua organização se trabalha a partir de casa.

Ora veja:

1. Vista-se e arranje-se todos os dias

Esta é uma parte importante, mas por vezes difícil, pois já que vai ficar a trabalhar por casa o que lhe vai parecer mais apelativo é continuar de pijama. Mas não o faça, aliás proíba-se a si próprio de ponderar sequer essa opção! Arranjar-se e vestir uma roupa vai dar-lhe outra motivação de trabalho, com todas as certezas.

2. Crie uma zona de trabalho ( que não seja a cama!)

A sua zona de trabalho não tem propriamente de ser um escritório que ocupe toda uma divisão, mas deverá criar uma certa divisão entre o local onde trabalha e o local onde descansa em casa. Crie uma zona agradável para trabalhar, com um secretária, boa luz e uma boa cadeira para se sentir confortável. Assim vai tornar-se mais produtivo.

Segue uma ideia para o inspirar:

 

3. Estipule um horário

Crie um horário de trabalho e mantenha-se fiel a ele. Estipule um horário para começar, pausa para refeição e um horário para terminar o seu dia. Assim vai evitar trabalhar pouco tempo ou demais.

4. Saia à rua

Quando se trabalha fora de casa tem sempre de se sair a rua, nem que seja para entrar no carro ou nos transportes . Quando se trabalha em casa pode parecer bom não ter de se fazer esses percursos, mas ao longo do tempo não vai ser tão agradável estar sempre fechado em casa. Por isso, uma boa opção é criar a rotina de todos os dias, de manhã ou de tarde, dar um passeio e fazer uma caminhada ou corrida.

 

5. Saiba gerir o dinheiro

Crie planos e contas poupança, pois quando se trabalha por conta própria tem-se menos regalias fiscais de quando se trabalha por conta de outrem. Informe-se com o seu contabilista e vejam quais as melhores opções.

6. Faça planos com outras pessoas

Tente combinar pelo menos 2 almoços com amigos, e uma saída a noite por semana, pois trabalhar sozinho em casa pode tornar-se solitário e assim garante manter o contacto com outras pessoas várias vezes por semana.

7. Tome vantagem da flexibilidade

Se quer muito fazer algo mas está dentro do seu horário de trabalho, tente antecipar trabalho de forma a que nesse dia possa estar descansado e fazer essa actividade.

8. Mantenha snacks saudáveis por perto

Trabalhar em casa significa ter sempre a tendência de ir petiscando pois a sua cozinha está perto. Por isso tente sempre ter snacks mais saudáveis por perto.

9. Faça listas

Criar listas de tarefas que tenha para fazer diariamente e/ou semanalmente é uma ótima forma de organização e de garantir que vai fazer tudo o que tem a fazer sem se esquecer de nada.

10. Mantenha as coisas arrumadas

Não há nada mais agradável do que ter a zona onde trabalhamos organizada por isso garanta que no final de cada diz deixa a sua zona de trabalho arrumada e organizada para o dia seguinte.

11
Ago17

Será que é desta!!


Cátia Sofia Santos

Olá meus amores...

 

Resultado de imagem para insiste persiste não desiste

 

Eu toda a minha vida fui uma pessoa com execesso de peso, e até a minha adolescência não dava grande importancia a isso, mas certo dia comecei a olhar bem para o espelho e decidi que não podia continuar assim.

 

Decidi que queria ir para uma nutricionista. E lá fui eu, fazia uma alimentação saudavel e tomava suplementos, ainda que á base de produtos naturais. Enquanto tomava os suplementes, tudo bem, consegui perder o peso que queria. Decidi então passar só para a alimentação juntamente com exercicio, mas aos poucos recuperei quase todo o peso perdido. 

 

Deixei andar durante uns tempos, ora perdia uns quilos, ora recuperava. Foi então que comecei a frequentar um ginásio e novamente a nutricionista. Perdi novamente quase todo o peso que queria, mas devido a sustento para o ginásio tive que desistir, fazia só a alimentação saudavél, sem os suplementos da nutricionista, e fazia caminhadas.

 

Entretanto, felizmente, comecei a trabalhar novamente e a vontade de fazer caminhadas é nula. Mas descobri que tenho um colega Personal Trainer a trabalhar aqui no escritório do lado, vai-me dar umas dicas de alimentação e de exercicios, para eu FINALMENTE emagrecer saudavel e chegar ao meu objectivo...perder 15kgs e realizar uma cirugia plástica para beneficios de saúde.

 

Irei escrever aqui alumas coisas e mostrar resultados.

Acompanhem e dêm dicas e motivação :) :)

 

 

10
Ago17

9 gestos que deixam o cabelo oleoso e (provavelmente) não sabia!!!


Cátia Sofia Santos

 

A sabedoria popular dizia-nos para escovar o cabelo cem vezes antes de dormir. Este hábito foi abolido para alegria das nossas escovas e couro cabeludo que, com isso, estava sempre oleoso.

Para muitas mulheres, lavar o cabelo todos os dias não faz parte da rotina e, na verdade, este gesto nem é muito fundamental. Muitos especialistas são a favor da lavagem dia sim, dia não ou até com mais dias de intervalo. Ou seja, aqueles que o cabelo de cada pessoa aguentar. Tal como o The New York Times escreveu, o cabelo necessita de produzir os seus próprios óleos naturais. Se lavamos demasiado, estamos a destruir estes óleos mas se não lavamos o suficiente acabamos por fazer o mesmo. O truque passa por treinar o nosso próprio cabelo a necessitar de lavagens menos frequentes.

Mas este treino também precisa de ser feito com as nossas mãos e as nossas rotinas. Há gestos mais ou menos inocentes que, na verdade, contribuem para que o cabelo fique oleoso e, assim, necessite de mais lavagens semanais. Reunimos 9 gestos que tem de mudar no seu dia a dia.

 

1. Tocar demasiado no cabelo

Uma das coisas que mais se vê nas histórias do Instagram são aquelas raparigas que, ao falar para a câmara, estão constantemente a tocar e a alisar o cabelo. Acaba por ser um gesto involuntário que, além de ser esquisito, é errado: ao mexer demasiado no cabelo, transferimos a oleosidade dos dedos para os fios.

 

2. Escovar muitas vezes

Antigamente, a sabedoria popular dizia que se devia escovar o cabelo cem vezes antes de dormir. Mas, na verdade, escovar o cabelo distribui os óleos naturais que se formam nas raízes e, em consequência, o couro cabeludo produz ainda mais óleo. Se tem um cabelo indisciplinado que precisa mesmo de ser controlado várias vezes ao dia, evite escovar a partir da raiz. Pode também usar escovas que desembaraçam com facilidade sem agredir para evitar escovagens repetitivas.

3. Aplicar condicionador no cabelo todo

Tal como o champô deve ser apenas “esfregado” nas raízes (e deixar que caia naturalmente no comprimento), o condicionador deve ser aplicado apenas do meio até às pontas para desembaraçar. Mas o mais normal é que se esfregue o cabelo todo de champô e, de seguida, se despeje condicionador das raízes até às pontas para ficar bem macio. É quase um gesto sensorial. Mas errado. O condicionador deixa as raízes oleosas.

4. Não ser paciente

Se mal vê um bocadinho de brilho, vai imediatamente lavar o cabelo, apenas está a contribuir para que ele fique cada vez mais oleoso (ainda) mais rapidamente. Ao lavar com menos frequência está a dar às suas glândulas sebáceas uma oportunidade de “acalmarem” e de produzirem menos óleo. E há muitos penteados que pode fazer para disfarçar a oleosidade.

5. Não limpar a escova

Para quem não tem o hábito de lavar a escova de cabelo, eis o que lá vive: pele morta, restos de produtos, de sujidade, de pó e cabelos sujos são só algumas das coisas. Quando nos penteamos, transferimos toda a sujidade para a escova. Se não a lavamos, quando nos voltamos a pentear, essa sujidade é novamente transferida para o cabelo. O site de beleza Into The Gloss sugere uma lavagem rápida e simples: encha o lavatório de água morna, adicione champô e mergulhe a escova, esfregando bem as cerdas. No fim, passe por água limpa e deixe a secar em cima de uma toalha. Exatamente da mesma forma que lava os pincéis de maquilhagem. Demora, sensivelmente, 2 minutos neste ritual.

6. Usar produtos errados

Esta é óbvia: tal como a nossa pele fica ressentida quando usamos produtos errados, o cabelo reage da mesma forma. Um bom exemplo é ter cabelos lisos e usar produtos de styling para caracóis com a esperança de conseguir um resultado ondulado. Não é bem isso que vai acontecer – o cabelo responde produzindo mais óleo.

 

7. Usar ferramentas de calor muitas vezes

Muitas mulheres podem até não lavar o cabelo todos os dias mas não saem de casa sem passar a prancha nos fios. O que acontece é que os aparelhos de calor (pranchas de alisar, de ondular e até secadores) podem secar a pele no couro cabeludo, fazendo com que as glândulas sebáceas produzam mais óleo. Quando o seu cabelo já não se aguentar solto, experimente alguns penteados.

8. O calor e a humidade

Tal como o suor, também o calor e a humidade fazem com que o couro cabeludo produza mais óleo. E como ainda nos restam uns dois meses deste tempo, é preciso saber como absorver a oleosidade. Além dos champôs secos, pode simplesmente ir ao baú: o pó de talco é a solução mais simples para combater o óleo excessivo no dia a dia sem ter que ir a voar lavar o cabelo.

9. Não fazer um detox

Muitos especialistas recomendam que as mulheres façam, pelo menos uma vez por mês, um detox capilar para limpar o couro cabeludo da acumulação de produtos. Pode fazer uma lavagem profunda com produtos suaves que não agridam (e que normalmente não fazem espuma) como os Low Shampoo de Elvive e até usar uma espécie de esfoliante para o couro cabeludo como o Scalp Detox de Grow Gorgeous (à venda na loja online Look Fantastic).

09
Ago17

Leituras... "Apenas um ano"


Cátia Sofia Santos

Wook.pt - Apenas Um Ano

 

Antes de descobrires o final é preciso lembrar como tudo começou…

Willem e Allyson viveram momentos inesquecíveis em Paris e nada previa a separação. Para Allyson, a traição parece ser a única causa do desaparecimento de Willem. Mas o que terá acontecido naquela manhã? Em Apenas Um Ano, que retoma os acontecimentos de Apenas Um Dia, Willem contará o seu lado da história.

Depois de um percalço do destino, e das inúmeras tentativas em contrário, percebe que não consegue esquecer aquela rapariga de olhar enigmático, da qual nem sequer conhece o verdadeiro nome. Dela restam as lembranças de um dia mágico e o relógio, que marca o tempo ao ritmo das viagens e da procura mútua. Será um ano tempo suficiente para lidar com a intensidade de um dia?

 

 

 

Quem é que já leu?

 

Eu cá estou viciada nos livros da Gayle Forman.

08
Ago17

"Ás vezes..."


Cátia Sofia Santos

"Às vezes é preciso aprender a perder, a ouvir e não responder, a falar sem nada dizer, a esconder o que mais queremos mostrar, a dar sem receber, sem cobrar, sem reclamar. Às vezes é preciso respirar fundo e esperar que o tempo nos indique o momento certo para falar e então alinhar as ideias, usar a cabeça e esquecer o coração, dizer tudo o que se tem para dizer, não ter medo de dizer não, não esquecer nenhuma ideia, nenhum pormenor, deixar tudo bem claro em cima da mesa para que não restem dúvidas e não duvidar nunca daquilo que estamos a fazer. 
E mesmo que a voz trema por dentro, há que fazê-la sair firme e serena, e mesmo que se oiça o coração bater desordeiramente fora do peito é preciso domá-lo, acalmá-lo, ordenar-lhe que bata mais devagar e faça menos alarido, e esperar, esperar que ele obedeça, que se esqueça, apagar-lhe a memória, o desejo, a saudade, a vontade. 
Às vezes, é preciso partir antes do tempo, dizer: aquilo que mais se teme dizer, arrumar a casa e a cabeça, limpar a alma e prepará-la para um futuro incerto, acreditar que esse futuro é bom e afinal já está perto, apertar as mãos uma contra a outra e rezar a um Deus qualquer que nos dê força e serenidade. Pensar que o tempo está a nosso favor, que a vontade de mudar é sempre mais forte, que o destino e as circunstâncias se encarregarão de atenuar a nossa dor e de a transformar numa recordação ténue e fechada num passado sem retorno que teve o seu tempo e a sua época e que um dia também teve o seu fim. 
Às vezes mais vale desistir do que insistir, esquecer do que querer, arrumar do que cultivar, anular do que desejar. No ar ficará para sempre a dúvida se fizémos bem, mas pelo menos temos a paz de ter feito aquilo que devia ser feito. Somos outra vez donos da nossa vida e tudo é outra vez mais fácil, mais simples, mais leve, melhor. 
Às vezes é preciso mudar o que parece não ter solução, deitar tudo a baixo para voltar a construir do zero, bater com a porta e apanhar o último comboio no derradeiro momento e sem olhar para trás, abrir a janela e jogar tudo borda-fora, queimar cartas e fotografias, esquecer a voz e o cheiro, as mãos e a cor da pele, apagar a memória sem medo de a perder para sempre, esquecer tudo, cada momento, cada minuto, cada passo e cada palavra, cada promessa e cada desilusão, atirar com tudo para dentro de uma gaveta e deitar a chave fora, ou então pedir a alguém que guarde tudo num cofre e que a seguir esqueça o segredo. 
Às vezes é preciso saber renunciar, não aceitar, não cooperar, não ouvir nem contemporizar, não pedir nem dar, não aceitar sem participar, sair pela porta da frente sem a fechar, pedir silêncio, paz e sossego, sem dor, sem tristeza e sem medo de partir. E partir para outro mundo, para outro lugar, mesmo quando o que mais queremos é ficar, permanecer, construir, investir, amar. 
Porque quem parte é quem sabe para onde vai, quem escolhe o seu caminho e mesmo que não haja caminho porque o caminho se faz a andar, o sol, o vento, o céu e o cheiro do mar são os nossos guias, a única companhia, a certeza que fizemos bem e que não podia ser de outra maneira. Quem fica, fica a ver, a pensar, a meditar, a lembrar. Até se conformar e um dia então esquecer."

Margarida Rebelo Pinto

07
Ago17

Se cresceste nos anos 90...


Cátia Sofia Santos

-Ainda te lembras de quando valia a pena acordar cedo para ver desenhos animados; 


- Sabes de cor a música de pelo menos 4 canções da Disney; 


- Fazias aquelas coisinhas de papel para ver com quem é que te ias casare os 'quantos queres?' ; 


- Cantavas as musicas das Spice Girls, mas não sabias bem o que é que estavas a dizer; 


- Sabias que a Power Ranger cor de rosa e o verde ainda iam acabar juntos; 


- Não perdias um episódio do Dragon Ball; 


- Tiveste, pelo menos, um Tamagotchi; 


- Sabias as músicas dos Onda Choc de cor 'ele é o reiii, eiii, eiii' 


- Ainda és do tempo em que a Anabela cantava 'quando cai a noite na cidadeee'... 


- Brincavas aos Polly Pocket! 


- Ainda te lembras da coreografia da Macarena; 


- Gritavas 'Olhós namorados, primos e casados!'; 


- Choraste quando o Mufasa morreu e, se for preciso, voltas a chorar se voltares a ver o filme outra vez; 


- Tururururu Inspector Gadget Tururututu! 


- Ainda te lembras de ver a tua mãe ou a tua avó a chorar a ver o 'Ponto de encontro' 


- 500 escudos dava para tanta coisa! 


- 'Bem-vindos ao mundo encantado dos brinquedos, onde há reis, princesas, dragões!' 


- Todas as tuas decisões importantes eram feitas com um 'pim-pu-ne-ta' 


- 'Velho' queria dizer qualquer pessoa acima dos 17 anos; 


- Conhecias pelo menos uma pessoa que tinha daqueles ténis com luzinhas! 

 

- Quando ias ao cabeleireiro, a tua mãe dizia-te que ficavas linda/o de 'poupa'; 

 

- Querias sempre um Push-pop e a tua mãe nunca te queria dar porque ficavas todo a colar!!! 


- Levaste pelo menos um sermão por teres colado o teu 'pega-monstros' ao tecto da cozinha; 


- Trocavas tazzos e matutolas; 


- Vias o Zig-Zag, e o Buereré. 


- Vias o Riscos, no canal 2, e sentias-te muito mais crescida. 


- Achavas piada ao 'quarto-escuro'; 


- Respondias aos insultos com 'quem diz é quem é!!' 


- Lembras-te de ver os Simpsons e de não perceberes porque é que, sendo desenhos animados, não tinham graça nenhuma; 


- Viste o Rei Leão, e os 101 dálmatas. 


- Já te apercebeste que já não és uma criança, e que sabe bem recordar os momentos que já passaram...!

06
Ago17

7 alimentos que ajudam a aliviar o mau humor matinal!!!


Cátia Sofia Santos

Dicas simples que o vão ajudar a acordar bem disposto

 

Resultado de imagem para mau humor

 

 

 

Se acordou mal disposto e não sabe o que deve comer, este artigo foi escrito para si. O site Everyday Health fez uma lista com vários alimentos que ajudam a aliviar as náuseas.

Maçãs. A fibra ajuda a acabar com a má disposição, limpando o seu organismo de químicos que possam estar a provocar este estado. Mas não coma muitas maçãs: uma grande quantidade de fibra no organismo pode ter o efeito contrário ao desejado e deixá-lo ainda pior.

Bolachas de água e sal. Alimentos ricos em amido ajudam a absorver o ácido gástrico e a aliviar o estômago. Comer algumas bolachas destas de manhã, antes de sair da cama, ajuda a combater a má disposição matinal.

Gengibre. Este alimento ajuda a aliviar as náuseas e a diminuir a vontade de vomitar. Pode experimentá-lo no chá, nas bebidas frias, nas bolachas ou até em compotas.

Água. Ajuda-o a manter-se hidratado e a limpar o organismo.

Frutos secos. A falta de proteína pode fazer com que a sensação de má disposição seja ainda pior. Por isso, é sempre bom ter um pacote de frutos secos à mão, pois são fáceis de digerir.

Bebidas energéticas. Mesmo que não costume praticar desporto, dê uma hipótese a estas bebidas. Contêm eletrólitos que incluem sódio e potássio e que ajudam a aliviar o mau estar.

Banana. Esta fruta ajuda a restabelecer os níveis de potássio, elemento químico em falta no organismo devido aos vómitos e diarreia.

05
Ago17

Guia de seis passos para cuidar da pele durante o verão!!!


Cátia Sofia Santos

Resultado de imagem para cuidados com a pele

 

A pele é o maior órgão do corpo humano e o mais real 'cartão' de apresentação para os outros. Consegue revelar o nosso estado de saúde, o tipo de alimentação que seguimos e ainda os cuidados diários que temos. Por ser o órgão que nos veste, a pele é o nosso mais fiel espelho.

Os cuidados com a pele devem ser rotineiros, mas nunca generalizados. Respeitar o tipo de pele, as necessidades cutâneas e ainda a estação do ano em que se está é meio caminho andado para se conseguir uma pele mais saudável, mais resistente e capaz de fazer frente a todo o tipo de agressões internas e externas de que é alvo diariamente.

Uma vez que é no verão que a pele está mais exposta aos agentes agressores, sendo o sol um dos mais potentes inimigos, torna-se ainda importante olhar para a pele com 'olhos de ver'. Embora a vitamina D extraída da estrela central do sistema solar seja fundamental para a saúde humana - contribuindo, entre outras coisas, para uns ossos mais fortes e um humor mais agradável -, a exposição desmedida e desprotegida aos raios solares pode desencadear um sem fim de problemas cutâneos, incluindo a alergia e o mais fatal de todos: o cancro.

Para que os cuidados de pele sejam os mais eficazes, certeiros e seguros, são seis os verbos a ter em conta - conhecer, hidratar, esfoliar, nutrir, proteger e alimentar - e o Lifestyle ao Minuto diz-lhe o que fazer em cada um deles.

Conhecer

Com a ajuda de um dermatologista deve-se procurar saber o tipo de pele que se tem, isto é, se é uma pele oleosa, seca, mista, sensível, propensa a alergias ou a outras condições cutâneas. Somente depois de "conhecer a própria pele e saber quais os mecanismos e reações ocorrem nela e através dela" é que é possível saber quais os cremes e produtos mais indicados e os que melhor irão cuidar do órgão, como nos contou a dermatologista italiana Pucci Romano em entrevista.

 

Esfoliar

Embora possa soar a agressivo, o conceito de esfoliação é um dos mais importantes para a boa saúde da pele. De acordo com a médica dermatologista Cláudia Marçal, "o esfoliante vai fazer uma renovação do estrato córneo", isto é, vai retirar as impurezas e os restos epidérmicos da pele no folículo do poro, deixando-a não só "mais fina, mais macia, mais recetiva para uma hidratação".

Hidratar

Depois de saber qual o tipo de pele que se tem e de prepará-la para ser cuidada, há que começar a hidratá-la da melhor forma. Tudo começa, claro, com a ingestão regular de água, mas também com a aplicação de um creme hidratante e de um creme pós-praia.

No que diz respeito ao creme hidratante, este deve, claro, respeitar o tipo de pele e ser preferencialmente isento de ingredientes maioritariamente químicos. A aplicação de óleo de coco ou óleo de amêndoas doces é sempre uma alternativa a ter em conta. Quanto ao verão em si e às idas à praia, a dermatologista Leonor Girão defene que o aftersun é sempre uma opção a ter em conta. Ao Lifestyle ao Minuto, a especialista defende que se trata de "um produto em leite ou creme com propriedades hidratantes e antioxidantes" e que tem como "objetivo ajudar a pele a recuperar da agressão dos raios solares".

Nutrir

O rótulo de um produto de beleza deve ser avaliado de modo idêntico a um rótulo alimentar. A presença de ingredientes de origem natural é sempre importante, mas o segredo de um bom creme está nas vitaminas. Como lhe contámos aqui, são dez as vitaminas essenciais para uma luta eficaz contra o envelhecimento. 

A vitamina E, por exemplo, reduz a vermelhidão da pele, assim como as linhas e estabelece a firmeza da pele, sendo o tofu, o camarão, o abacate, as sementes de girassol, as amêndoas e o trigo boas formas para obter este nutriente. Já a vitamina K melhora a elasticidade da pele, reduz as manchas e as olheiras e pode ser obtida com a ingestão de brócolos, queijo, espinafre, carne, ovos e couve-de-bruxelas. Procurar estes ingredientes é também uma mais-valia.

Proteger

Como não poderia deixar de ser, o fator proteção é um dos mais fundamentais naquela que é a estação mais quente do ano e em que o corpo anda mais exposto. Tal como acontece com a escolha do creme hidratante diário, também o protetor solar deve respeitar o tipo de pele, o tom de pele e a zona do corpo onde vai ser aplicado

Em declarações ao nosso site, a dermatologista do IPO Mariana Cravo explica que "normalmente, o protetor solar do rosto deverá ser adequado ao tipo de pele. A maioria dos protetores solares para o corpo também têm alguma ação hidratante/emoliente que, quando aplicado na pele da face, poderá dar uma sensação de pele ‘gordurosa’ e cosmeticamente não serem tão agradáveis dando à pele um tom demasiado esbranquiçado".

Para que a proteção seja a mais eficaz, a dermatologista Daniela Cunha dá-nos os melhores conselhos e deixa um alerta: nunca esquecer de proteger as orelhas.Se ainda não escolheu o protetor solar para este ano, temos aqui boas sugestões.

Alimentar

Uma dieta saudável, equilibrada e nutritiva faz bem a todo o corpo, seja por dentro ou por fora, contudo, existem alimentos cujo consumo é mais requisitado no verão. Falamos, claro, dos potenciadores de bronzeado. Como nos explicou a nutricionista Lillian Barros, é possível potenciar o bronze à mesa com uma maior aposta em alimentos como a cenoura, a abóbora, os pimentos, a rúcula, os espinafres, a papaia e a manga. Na prática, trata-se de um conjunto de "alimentos ricos em carotenoides (principalmente o betacaroteno) e vitaminas como A e E podem potencializar e prolongar o bronze", pois atuam como verdadeiros estimulantes naturais da "produção de melanina".

Salmão, abacate, nozes, melancia, laranja, feijão e chocolate negro são apenas alguns dos alimentos que os dermatologistas querem que as pessoas comecem a comer. 

04
Ago17

MÃE, POSSO SAIR À NOITE?


Cátia Sofia Santos

Há um dia em que eles olham para os pais e perguntam se já podem sair à noite. A adolescência é um processo de construção de identidade, autonomia e, acima de tudo, é inevitável. Este é um dos maiores desafios parentais, que, mais tarde ou mais cedo, irá chegar.

 

 

A adolescência é, por si só, uma nova e importante etapa na vida de qualquer pessoa. Com esta fase surge algo mais:  os adolescentes querem e começam a sair à noite. Mas, para quem é mãe ou pai, este pode ser um motivo de preocupação.

 Assoma-se então a seguinte questão: Há uma idade certa para deixar os filhos saírem à noite? Para Paulo Vitória, psicólogo e terapeuta familiar, a resposta a esta pergunta deve ser dada a partir de dois princípios importantes nas relações humanas e na educação: «Bom senso e cada caso é um caso».

Este fenómeno a que a sociedade chama de adolescência é um conceito moderno resultante de uma interação social entre a vida em sociedade e a biologia. Na era industrial, não havia adolescência. E a sociedade está em constante aprendizagem acerca deste fenómeno, em especial os pais, no que concerne ao exercício da parentalidade.

Muitos especialistas consideram este um dos maiores desafios que os pais têm de enfrentar na educação dos filhos. «A adolescência é um fenómeno muito complexo. Não há dois adolescentes iguais. O desenvolvimento acontece em ritmos desfasados em dimensões essenciais do ser que está em construção», esclarece o psicólogo.

Se, por um lado, o físico se desenvolve mais cedo, o lado emocional desenvolve-se cada vez mais tarde. «Os adolescentes podem ter um corpo de adulto e cérebro de criança. Por isso, cada caso é um caso. Mas ninguém conhece melhor os adolescentes do que os seus pais».

Apesar de todas as dificuldades que a adolescência provoca, é essencial que os pais não abandonem o seu poder parental para que os filhos cresçam em segurança e sejam adultos fortes e saudáveis. Paulo Vitória defende a importância dos pais resistirem à tentação de serem os amigos mais velhos, em vez de serem mãe ou pai.

A idade mais certa para deixar os filhos sair à noite deve, portanto, resultar do bom senso dos pais. «Os pais devem assumir, tranquilamente, que essa idade pode não ser a mesmo para filhos diferentes, porque não há dois adolescentes iguais».

 

Não obstante, é fundamental estabelecer algumas regras para as saídas noturnas. Uma das consequências da imaturidade é a dificuldade em cumprir regras de modo autónomo e «é uma obrigação dos pais. No caso das saídas noturnas, definir regras é fundamental por questões de educação e de segurança», aponta Paulo Vitória, professor na Universidade da Beira Interior.

 

O psicólogo aponta algumas regras de ouro a serem impostas: Definir horas para chegar a casa, telefonar aos pais em qualquer situação de emergência (melhor se for de pré-emergência) e informar para onde vão e com quem vão. O valor da segurança sobrepõem-se ao valor da liberdade, algo que para os adolescentes ainda está em fase de aprendizagem.

 

Como se costuma dizer , ‘as regras existem para serem quebradas’. Este é um risco que se corre, mas «faz parte do papel parental definir regras e exercer autoridade», garante Paulo Vitória. Quando o seu filho quebrar uma dessas regras veja a situação como uma oportunidade de educar. Na maioria dos casos, não é grave, mas não pode ser ignorado. As consequências dependem novamente do bom senso e do caso em questão. Se, por exemplo, o adolescente chegar a casa alcoolizado (grave) poderá impor que não está autorizado a sair à noite no próximo mês ou algo do género».

 

Em caso de pais divorciados, as regras devem ser definidas por aquele que tem o filho a seu cargo. «Os pais devem resistir a eventuais tentativas de manipulação dos filhos adolescentes, (…) são um risco para o sucesso do processo educativo. Por exemplo, se o filho diz ao pai que a mãe o deixa sair até às 3h da manhã, o pai deve responder que na sua casa quem define as regras é ele próprio e que o filho deve adaptar-se a essa situação», aconselha Paulo Vitória.

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Widgets