Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Girls can !!

Lifestyle

Lifestyle

Girls can !!

30
Set17

O tão merecido descanso!!!


Cátia Sofia Santos

Olá meus amores...

 

Eu sei que vos deixei som post´s durante uns dias, mas estou de volta. Hoje venho vos mostrar umas fotografias da praia de Armação de Pêra, onde estive uns dias a descansar. Espero que gostem e visitem :)

 

IMG_1241.JPG

 

IMG_1242.JPG

 

IMG_1244.JPG

 

IMG_1246.JPG

 

IMG_1250.JPG

 

IMG_1253.JPG

 

IMG_1254.JPG

 

IMG_1258.JPG

 

IMG_1260.JPG

 

21
Set17

O QUE AS CORES REVELAM SOBRE SI!!!!


Cátia Sofia Santos

 
 

Já dizia Coco Chanel: “A melhor cor do mundo é aquela que lhe fica bem”. Escolha tons que a valorizem, mas que também estejam de acordo com a sua personalidade e a mensagem que pretende transmitir. Pelo facto de estarem associadas a valores, é importante conhecer o significado das cores, tal como refiro no livro “Imagem Profissional, Guia de Estilo”.

E as cores também podem valorizar ou prejudicar o seu tom de pele ou tipo de corpo. Quando usada junto ao rosto, uma cor pode acentuar o cansaço, rugas, marcas de expressão e olheiras. Ou, pelo contrário, contribuir para lhe dar um ar mais jovem, luminoso e saudável. Além disso, as cores e respetivas combinações cromáticas podem evidenciar certas zonas do corpo, “aumentando” o seu volume ou fazê-la parecer mais alta e magra. Veja também o artigo “Color Blocking: Vivam as cores!”.

 

 

Dicas de estilo para usar as cores a seu favor:

  • Faça um teste de cores para identificar as cores que mais favorecem o seu tipo de pele, quando usadas junto ao rosto, como é o caso dos casacos, camisas, blusas e lenços. Fica melhor com com tons frios (azul, verde, violeta e rosa) ou quentes (vermelho, laranja e amarelo)?
  • O preto e os tons mais escuros envelhecem o rosto, assim como os tons pastel, que podem dar-lhe um ar mais cansado e pálido
  • Regra geral, as cores escuras e opacas têm o efeito de adelgaçar a silhueta, enquanto que as tonalidades mais claras e brilhantes aumentam o volume do corpo
  • Recorra às cores mais vivas e claras nas zonas do corpo que pretende destacar e aos tons neutros e mais escuros nas áreas que gostaria de disfarçar
  • Se escolher tons claros tenha atenção à forma da roupa, pois esta também influencia o efeito visual. Um dos maiores erros é vestir-se de preto, por considerar que esta é a única forma de parecer mais magra
  • O look monocromático - uma única cor - também alonga a silhueta, pelo que é ideal para quem quer parecer mais alta e magra
  • Uma boa forma de tornar o seu visual mais alegre é usar cor em pequenos apontamentos e acessórios, que ocupam menos espaço visual. Por exemplo, num lenço, colar, mala ou sapatos

 

O simbolismo das cores

 

O que as cores revelam sobre si

 

Azul - É a cor preferida da maior parte das pessoas (46 por cento dos homens e 44 por cento das mulheres). O azul está associado a valores como a confiança, simpatia, estabilidade, tranquilidade e harmonia, pelo que deve usá-lo sempre que pretender transmitir esta imagem. Os tons mais escuros são ideais para ambientes mais formais e ajudam a adelgaçar a silhueta. Esta é a cor ideal para quem quer causar uma boa primeira impressão, pelo que é recomendada para usar numa entrevista de emprego, reunião ou encontros de negócios.

 

O que as cores revelam sobre si

 

Branco - O branco é uma cor que ilumina, transmite pureza, sinceridade, inocência, paz, calma e simplicidade. As pessoas que preferem o branco são, muitas vezes, perfeccionistas, diplomáticas e espirituais. Pode aumentar a silhueta e suja-se com mais facilidade, mas é uma cor neutra que combina com todos os tons.

O que as cores revelam sobre si

 

Preto - Este tom neutro tem o efeito de adelgaçar o corpo. O preto é uma cor sensual, misteriosa e sofisticada, que transmite elegância, poder e autoridade. As peças de roupa clássicas neste tom são versáteis e intemporais, como é o caso de um sobretudo, blazer, vestido, calças ou saia.

 

O que as cores revelam sobre si

 

Cinzento - Transmite sobriedade, equilíbrio, elegância, estabilidade e segurança, sendo por isso muito usado em ambientes corporativos. Este tom neutro é versátil, já que combina com todas as cores e é uma boa alternativa ao preto. Existe em várias tonalidades, do cinzento mais claro ao mais escuro (cinzento-antracite). É uma boa opção para usar num dress code formal e em entrevistas de emprego e reuniões. Ideal para fatos completos, vestidos, calças e saias.

 

O que as cores revelam sobre si

 

Vermelho - Por ser um tom quente e vivo chama a atenção para a zona do corpo em que o está a usar. É uma cor que transmite energia, liderança, intensidade e poder. Demonstra uma personalidade forte, corajosa e dinâmica. O vermelho está também associado à sensualidade, desejo e paixão. Deve ser utilizado com moderação, pois em excesso pode tornar-se cansativo, vulgar e agressivo. Evite o contraste com o preto, substituindo-o pelo cinzento, branco ou bege. É ideal para casacos, camisolas, lenços, sapatos e e malas.

 

O que as cores revelam sobre si

 

Verde – É a cor associada aos amantes da natureza. Revela uma personalidade amigável, calma e estável, que transmite segurança, esperança, perseverança e equilíbrio. Use-a com tons neutros em ambientes mais formais, como o branco, preto, cinzento, bege ou castanho. Para um look mais criativo recorra a contrastes com tons vivos, como o amarelo, laranja ou rosa, em roupa ou acessórios.

 

O que as cores revelam sobre si

 

Rosa - Esta cor está relacionada com o universo feminino, bem como o romantismo, harmonia, sensibilidade e graciosidade. É perfeita para usar num evento ou causa feminina. O rosa pastel não é, no entanto, a melhor opção se pretender passar uma imagem de confiança e de poder, já que pode demonstrar uma natureza delicada e frágil. Conjugue-a com tons neutros, como o cinzento, preto e branco. O rosa fúcsia é uma tonalidade mais vibrante e intensa, que não a vai deixar passar despercebida, sendo muito usada pelas fashionistas.

20
Set17

42 RAZÕES PARA ANDAR (MAIS) A PÉ!!!


Cátia Sofia Santos

As caminhadas estão na moda e o número de adeptos do pedestrianismo também tem vindo a aumentar. Saiba tudo o que o seu corpo fica a ganhar se começar a caminhar mais.

 

 

 

Já pensou em tudo o que pode perder se não caminhar? Imensas coisas! Um bom dia de sol, o encontro com um amigo, o desabrochar das flores. Mas existem outros benefícios associados às caminhadas diárias, talvez não tão percetíveis para os sentidos, mas decisivos para o seu bem-estar. Caminhando viverá mais anos e terá uma vida melhor. Saiba como, com a ajuda de Marcos Miranda, especialista em medicina desportiva.

Andar é o exercício mais natural, económico e simples de todos, mas não é por isso que os seus benefícios são mais humildes. É um pequeno investimento que lhe oferece múltiplos e importantes ganhos para o seu corpo e mente. Com cada passo que dá, vai mimando, protegendo e melhorando cada um dos sistemas orgânicos, células, tecidos, contribuindo para o bom funcionamento do organismo.

 

 

 

Continuar a caminhar ou descansar?

Uma caminhada diária mantém as suas defesas em boa forma para lutar contra os agentes patogénicos internos ou externos. Alguns especialistas crêem, até, que caminhar moderadamente não só protege das infeções e doenças como também ajuda a curá-las mais rapidamente e a recuperar também mais depressa. Então, há que seguir com as caminhadas ou é melhor fazer um intervalo quando estamos indispostos?

Para estes casos, se tem dor de cabeça ou está constipado pode continuar mas se tem febre, dores de garganta ou tosse, deve descansar uns dias até que esses sintomas desapareçam. Se não for o caso, é sinal de que não tem desculpas que o salvem. Estas são (apenas) 42 das muitas razões que deve ter em linha de conta para passar a caminhar mais:

1. Andar faz bem ao coração. Caminhar algumas horas por semana é um dos investimentos mais rentáveis para o seu sistema cardiovascular porque o coração trabalha mais economicamente, sem aumentar o esforço corporal, ou seja, vai diminuindo o número de pulsações, graças ao aumento de sangue bombeado.

2. Além disso, otimiza o sistema circulatório, porque aumenta o tamanho do coração, o que reduz a frequência da pulsação e aumenta o volume de sangue bombeado e dilata os vasos sanguíneos.

3. Diminui ainda o risco de aterosclerose, não só por melhorar a elasticidade das artérias, mas também por diminuir os níveis das lipoproteínas de baixa densidade (colesterol mau que prejudica as artérias) e aumentar os das lipoproteínas de alta densidade (colesterol bom que protege as artérias).

4. Diminui o nível de triglicéridos no sangue, que são outras gorduras que potenciam o risco cardiovascular.

5. Ao tratar-se de uma atividade aeróbia (exercício de intensidade moderada que leva grandes quantidades de ar aos pulmões), ajuda a reduzir a pressão arterial, sobretudo a sistólica, o que diminui o risco de sofrer de hipertensão e permite baixar a dose de medicação aos doentes que já sofram deste mal.

6. Melhora a capacidade de transporte de oxigénio não só aos músculos como a todas as células do organismo, ajudando a que os diferentes órgãos e tecidos disponham de mais energia, se desintoxiquem e funcionem melhor.

7. Ao aumentar a circulação sanguínea e a sua velocidade, reduz-se o risco de depósitos de gordura nas paredes arteriais que levam ao seu estreitamento, originando uma menor irrigação ou bloqueio do fluxo sanguíneo, que pode culminar em ataque cardíaco ou AVC.

8. Ativa a circulação periférica, aumentando o fluxo de sangue necessário para realizar esforços e melhorar o seu retorno, aliviando problemas venosos como as varizes.

9. Para além de reduzir o excesso de peso, um fator de risco de aparecimento da diabetes, caminhar ajuda a prevenir ou a retardar o desenvolvimento desta doença, na medida em que ajuda a glicose a entrar nas células em vez de se acumular no fluxo sanguíneo (lesando os vasos).

10. Além dessa função preventiva, eleva ainda a sensibilidade das células musculares à insulina, o que ajuda a reduzir os efeitos da diabetes tipo 2.

11. Aumenta, também, a tolerância à glicose e melhora a sua utilização, o que contribui para baixar significativamente o índice de glicose, ou seja, os valores de açúcar no sangue.

12. Pode reduzir o uso de insulina nos doentes insulino-dependentes, porque o organismo utiliza esta hormona de« forma mais eficaz.

13. Para além de todos os benefícios já descritos, caminhar reduz, ainda, o risco de sofrer alguns dos cancros mais frequentes, como o da mama, cólon e próstata.

14. Diminui a taxa de mortalidade global, que é mais elevada entre aqueles que levam uma vida sedentária.

15. Reduz as perdas funcionais associadas ao envelhecimento, ao fomentar o uso dos diferentes sistemas corporais.

16. Diminui os estados de ansiedade, insónia e depressão.

17. Andar a pé fortalece os músculos e os ossos. O sistema locomotor mantém-se ativo sem se esforçar demasiado. É um dos que mais beneficia com a caminhada porque melhora a resistência, elemento chave da condição física. Consiste na capacidade de manter um esforço durante o maior tempo possível, o que ajuda a realizar de forma concentrada as tarefas diárias e o trabalho profissional.

18. Além disso, reforça a musculatura das pernas e dos glúteos. Este reforço permite-lhe alcançar um tónus muscular melhorado, que aumenta a capacidade de resistência frente a lesões e cansaço nos ligamentos e nas articulações.

19. Reforça e acondiciona toda a musculatura do tronco (coluna, pélvis e abdómen), o que tem um efeito positivo sobre o equilíbrio da coluna vertebral e previne a formação da cifose (a chamada corcunda).

20. Confere uma maior estabilidade aos ossos, que vêem aumentada a sua massa, para além de melhorar e manter durante mais anos a proporção entre o desgaste e a reconstrução do tecido ósseo, o que ajuda a prevenir ou a abrandar a osteoporose.

21. Andar a pé reforça as cartilagens, tendões e ligamentos, que adquirem uma maior elasticidade e resistência.

22. Retira pressão das articulações, facilitando o intercâmbio de fluidos, o que ajuda à sua necessária limpeza e lubrificação, aportando uma nutrição adequada à cartilagem.

23. Ajuda a limpar e manter as articulações dos pés, ancas e tornozelos, o que pressupõe um efeito preventivo da osteoartrite. Preserva ainda o material esponjoso que as une.

24. Melhora a capacidade de manter o equilíbrio, devido ao facto de o corpo se estabilizar sobre um só pé em cada passo e de mobilizar os músculos mais pequenos da perna e do tornozelo, para que enviem mensagens aos outros nervos periféricos e centrais e a outros músculos para manterem a posição vertical.

25. Para além de aumentar a mobilidade e a agilidade, nas pessoas idosas, reduz o risco de sofrer fraturas da anca e, no caso de já terem prótese nesse osso, permite prescindir do uso de bengala.

26. Reforça a musculatura que mantém erguida a coluna, cuja falta de resistência pode aumentar o risco de padecer de dores na coluna (lombalgia).

27. Acelera a recuperação dos problemas da coluna, como a lombalgia, e ajuda a controlar de forma significativa o peso, o que evita, por si só, que a dor lombar vá aumentando e se estenda a outras zonas.

28. Caminhar aumenta a libertação de endorfinas, substâncias hormonais que aliviam a dor e aumentam a sensação de bem-estar geral.

29. Andar a pé aumenta o conceito de autonomia e amor-próprio ou auto-estima, comparativamente àqueles que não praticam desporto.

30. A atividade e capacidade pulmonar e, com ela, a oxigenação celular, vital para que o organismo tenha um maior nível de energia, também aumentam com caminhadas regulares.

31. Caminhar é o melhor caminho para adelgaçar. Em combinação com uma dieta adequada, as caminhadas ajudam a libertar-se do excesso de quilos e a manter o peso ideal, já que o metabolismo é um conjunto de mudanças físicas e químicas que se  produzem nas células e que fornecem a energia para que o organismo cresça e funcione.

Ao caminhar eleva-se de maneira duradoura o gasto de energia no  âmbito desse processo metabólico, mesmo que a atividade se interrompa durante um breve período de tempo, o que ajuda a perder peso. Isso deve-se, em parte, ao aumento de massa muscular, que por sua vez acelera o metabolismo basal, o consumo de calorias em repouso, o mínimo que o nosso corpo necessita para continuar a viver.

32. Caminhar diariamente tem um efeito metabólico pós-consumo. O corpo continua a queimar mais calorias em menos tempo durante várias horas, inclusive depois da caminhada ter terminado.

33. Andar a pé aumenta o catabolismo, a destruição das células de gordura (adipócitos), o que permite reduzir a percentagem de tecido adiposo acumulado no corpo.

34. Fazer caminhadas regularmente reduz o volume de gorduras, sobretudo na região abdominal, que não só é mais visível e inestética como é, por si só, um indicador de risco cardiovascular, uma vez que, nesta zona, a gordura se instala em redor dos órgãos internos.

35. Andar a pé depois das refeições, facilita a digestão dos alimentos, ao produzir uma massagem natural do aparelho digestivo e urinário, o que se traduz numa menor acumulação de líquidos e inchaço estomacal e numa absorção mais regular dos nutrientes.

36. Este tipo de exercício ligeiro oferece muito bons resultados com menor esforço e em pouco tempo, já que uma caminhada a bom ritmo pode queimar tantas calorias como um exercício intenso como correr.

37. A partir dos 20 minutos de caminhada, começa-se a queimar gordura acumulada como combustível e, quanto mais se caminha, mais gordura se queima. A uma velocidade de cinco a seis quilómetros por hora (avançando entre 60 e 70 por cento da nossa capacidade, o que é considerado um bom ritmo), perde-se cerca de 200 calorias a cada meia hora.

38. Sempre que se caminha sem se ficar faminto, produz-se um efeito supressivo moderado do apetite, o qual reduz a ingestão excessiva ou inadequada de alimentos e o desejo de petiscar entre refeições.

39. Ao mobilizar os músculos abdominais estimula-se a atividade intestinal (promovendo a eliminação regular dos resíduos orgânicos e toxinas através das fezes) e também a mobilização da urina.

40. Caminhar favorece ainda o trânsito intestinal, evitando a acumulação de agentes tóxicos ou cancerígenos nesta zona.

41. Fazer caminhadas facilita também a libertação de hormonas anti-stresse no organismo, aumentando a resistência à tensão nervosa.

42. Andar a pé melhora ainda a visão periférica, devido ao trabalho que os olhos experimentam ao moverem-se para entender o ambiente circundante.

19
Set17

COMO LIDAR COM AS CRÍTICAS!!!


Cátia Sofia Santos

Ninguém gosta de as receber por muito insignificante que seja o assunto ou situação, mas muitas das vezes servem para alterar determinados comportamentos que até nos podem beneficiar.

 

 

Há críticas e críticas! Há aquelas mais corriqueiras que espicaçam por segundos, há outras que nos levam a refletir e a agir em conformidade e depois há as que podem durar uma eternidade para serem 'encaixadas'. Claro está que, consoante a situação, a sua atitude irá ser mais defensiva, impulsiva, angustiante ou outra. Mas, como tudo na vida, é bom fazer um exercício mental e arranjar a melhor forma de contornar a reação face ao que está a ouvir.

Ouvir
Saber ouvir os outros é uma qualidade e o mesmo acontece quando se depara com uma crítica. Mesmo que não concorde com aquilo que está a ser dito, respire fundo e tente reconhecer a crítica. Face à insegurança que se sente quando se ouve a mesma, é normal e legítimo que se fique ansioso, mas nada como saber ouvir e não entrar na defensiva ou 'atacar' o outro. Não pressuponha nada, reflita e, tranquilamente, partilhe o que lhe foi dito com outra pessoa de sua confiança para obter feedback. Muitas das vezes as críticas podem ser construtivas e nada como abraçar as mesmas.

Reconhecer o erro “O erro é essencial para o sucesso” nunca ouviu dizer? Só errando e aprendendo com o facto é que se consegue evoluir e só demonstra que há persistência e dedicação. Caso a crítica tenha legitimidade, não dê uma de orgulhoso. Aceite-a e assuma que errou. No entanto, não tem de se punir pelo erro para o “resto da sua vida”. Errar é humano e faz parte do crescimento pessoal e profissional.

Filtrar emoções
Tentar analisar e desconstruir a crítica é fundamental, ou seja, mesmo que seja difícil lidar com a mesma, é primordial que tente analisar de forma racional o motivo da mesma. Por vezes há motivos pessoais que interferem nos profissionais e vice-versa, pelo que se torna importante discernir acerca do motivo real. Não obstante, há determinadas pessoas que criticam atitudes (ou outros) nos restantes, quando na verdade gostariam de ser (ou ter) iguais. Ora, face a um comportamento de projeção do qual você não tem culpa, é necessário filtrar as emoções e tentar averiguar os porquês.

Justificar
Há situações em que é necessário haver uma explicação, nem que não seja porque podemos sentir essa necessidade. Depois de ouvir tranquilamente pode explicar porque agiu de determinada maneira. Mantenha um discurso calmo, simples e conciso, sem entrar no 'diz que disse' nem insistir sempre no mesmo. Muitas das vezes a situação piora devido ao diálogo encetado, pelo que é preferível não estar 'a bater na mesma tecla'. O ideal é que se concentre no objetivo, mas acima de tudo que tenha o bom senso de escolher a batalha, ou seja, saiba com quem vale a pena argumentar. De nada vale tentar justificar-se com um colega de trabalho se sabe que este não tem por hábito ouvir as pessoas ou que à mínima coisa perde a paciência.

Consenso
Caso o seu interlocutor seja uma pessoa que estima, nada como ir até meio caminho. Por vezes o próprio desempenho ou atitude pode não agradar ao outro, mas não é por isso que tem de mudar o seu completamente. No entanto, demonstrar que está disposto a alterar uma ou outra coisa para que algo resulte melhor é sinal de maturidade.

18
Set17

COMO LIDAR COM UMA PESSOA DEPRIMIDA!!!!


Cátia Sofia Santos

É um problema de saúde que pode atingir proporções graves e nem sempre as pessoas mais chegadas sabem lidar com isso. A boa vontade pode lá estar, mas o desconhecimento e falta de ferramentas para lidar com o problema podem impossibilitar uma aproximação e ajuda.

 

 

 

Possivelmente já se sentiu perdido e impotente! Nada pior do que querer ajudar alguém e sentir que essa pessoa continua a afastar-se. Deixamos aqui algumas estratégias para o ajudar a dar apoio a quem precisa, sendo que a ajuda especializada não pode ser descurada.

Pesquisar sobre o assunto
Há erros e mal-entendidos que se cometem e, por isso mesmo, é fundamental que pesquise e fique a saber o mais que puder sobre esta matéria. A ideia não é ser um substituto de um médico, mas sim ser alguém que compreenda e seja mais um apoio.
A depressão não se manifesta de forma igual e tem os seus sintomas em lugares recônditos, quase que como mascarados. Há pessoas que continuam a rir e a transparecer que está tudo bem, mas não pode assumir que já está curada. Tem de ter em conta que, até para quem esteja neste estado, os inputs e outputs de sintomas não são percetíveis.

Cuidar de si
Quando se está a lidar e a ajudar alguém de quem gostamos e lidamos muito, isto pode ser um turbilhão de emoções: ansiedade, desespero, frustração, entre outros,... É fundamental que também não se concentre a 100% nessa pessoa, uma vez que o pode afetar a si! Faça algumas pausas, descanse, peça ajuda a outras pessoas próximas, continue a fazer a sua vida, etc... não ignore o que o seu corpo e mente também precisam. Não se esqueça que se não estiver bem consigo nunca poderá ajudar outra!

Dar apoio
Mais do que as palavras... aja! Ou por falta de conhecimento ou falta de saber o que dizer, mais vale mostrar o seu apoio através de gestos diários: enviar mensagens escritas motivacionais, convidar para o cinema, jantar, futebol, etc., ajudar numa tarefa mais complicada, ajudar a levar as crianças à escola, ajudar na preparação do jantar, passear num jardim, enfim,... o sair de casa pode ser custoso de início, mas servirá como lufada de ar fresco e trava o caminho do isolamento. Não obstante, aja com naturalidade e tente criar tempo de qualidade juntos, isto é, façam coisas juntos de forma normal e natural e, preferencialmente, de forma otimista. A pessoa deprimida tem de ficar a sentir que você está lá para ela, que ela é importante para si, que vai ajudá-la a ficar melhor e estará lá para algo que ela precise. Mostre empatia, dê abraços e carinho e, em caso de dúvida, pergunte sempre como pode ajudar.

Não minimize a questão
Muitas pessoas adotam a postura de não dar grande importância ao assunto achando que estão a ajudar. Frases como “não és só tu quem tem problemas”, “vá, isso passa, tens de seguir em frente” ou até mesmo “porque é que te incomoda? És muito sensível!” têm de ser cortadas dos diálogos. Este género de coisas é o mesmo que dizer que a pessoa está com problemas na sua personalidade ou de braço partido. Muito menos comparar o estado da pessoa em questão com a de outra conhecida ou consigo mesmo, caso tenha sido o caso. Deve ter em conta que quem está a sofrer não consegue perspetivar melhorias, cada caso é um caso e o sofrimento é diferente de pessoa para pessoa. Tem de estar ciente que está perante um transtorno psicológico que pode atingir proporções muito graves.
Outra das atitudes adotadas é julgar ou criticar, mesmo inconscientemente e/ ou achando que lhe vai transmitir algum tipo de força por lidar dessa forma. Não empregue expressões tipo “há pessoas em pior estado que tu!”, “tens de ver o lado positivo das coisas” ou mesmo “se te levantasses da cama e fizesses alguma coisa ias sentir-te melhor”. A leitura de uma pessoa deprimida é que, para além do tom ser depreciativo, é que ela própria está a escolher ficar deprimida. O resultado disto só vai fazer com que se isole mais!

17
Set17

ACABE COM ESTES MAUS HÁBITOS!!!


Cátia Sofia Santos

Coloque um 'stop' em todos os pensamentos negativos, que fazem com que perca a sua confiança e também a sua felicidade. Dê uma vista de olhos no artigo e aprenda a aceitar-se tal como é.

 

 

 

 

Existem hábitos que acabam com a autoconfiança de qualquer um, mas cabe-lhe a si não deixar que estes interfiram na sua vida. Acabe com os pensamentos negativos que o inferiorizam e passe aceitar-se tal como é, só assim conseguirá manter a sua autoestima elevada e ser feliz.

Comparação - Não existe nada pior do que comparar-se com outra pessoa, até porque aquilo que estará a comparar vai sempre o pior de si e o melhor dos outros. No entanto, o que deve fazer é comparar-se a si próprio e nada mais. Reflita sobre o que já conquistou até agora e naquilo que pretende para o seu futuro, só assim vai conseguir acabar com este erro.

Futuro - Basta de estar sempre a pensar no pior dos cenários, é importante que os seus pensamentos sejam positivos e que se lembre, que tudo acontece de uma maneira diferente àquela que imagina. Acalme-se e deixe as coisas acontecerem no seu tempo.

Oportunidades - Pare de culpar-se porque não conseguiu atingir os seus objetivos, se isso aconteceu é porque não tinha de ser seu agora. Não o encare como uma derrota, mas sim uma forma de aprendizagem, arregace as mangas e lute por aquilo que realmente quer.

Aceitação - Percebe-se que uma pessoa é segura, quando esta não precisa de estar constantemente à procura de aceitação por parte dos outros. Se lhe acontece exatamente o contrário e se precisa que lhe estejam constantemente a dizer como é bom naquilo que faz, é porque a insegurança está muito presente em si e isto faz com que esteja sempre em stress e nunca consiga estar bem consigo próprio. Tente afastar-se deste vicio e aprenda a reconhecer o seu valor, só assim conseguirá aprender a aceitar-se, independentemente do que os outros possam achar de si.

Fracassos - Estar constantemente obcecado pelos erros do passado, faz com que comece a acreditar que é mesmo um falhado. Para que consiga eliminar este pensamento de vez, é necessário que compreenda o porquê de ter acontecido na altura e como neste momento, ia conseguir contornar essa situação. Pare de sentir pena de si e comece a aprender a amar-se pelo aquilo que é e pelo o que faz..

Imperfeições - Todos os seres humanos tem as suas imperfeições e por isso, é fundamental que perceba que ninguém consegue ser perfeito. Por isso, lembre-se que precisa de começar a aceitar-se como é, pois só assim irá conseguir superar as suas expetativas. Experimente também, escrever todos os dias três conquistas que tenha alcançado, assim quando tiver mais em baixo, deve ler e perceber como está num bom caminho.

16
Set17

É POSSÍVEL POUPAR NO SUPERMERCADO E FAZER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL???


Cátia Sofia Santos

 

 

 

Muitas pessoas queixam-se dos preços dos produtos biológicos e de outros ingredientes tradicionalmente tido como saudáveis. É possível poupar no supemercado e fazer uma alimentação saudável? Dinora Bastos, nutricionista, acredita que existem algumas estratégias e rotinas diárias que lhe permitem poupar dinheiro e ao mesmo tempo defender a sua saúde:

 

- Adicione pratos vegetarianos à sua alimentação. As leguminosas (como o feijão, o grão e as lentilhas, por exemplo) são boas fontes de proteína de origem vegetal. Por isso, podem substituir a carne e/ou o peixe.

 

- Cultive alimentos em casa. Escolha vários vegetais, ervas aromáticas ou especiarias. Aumenta a diversidade alimentar e contribui para o enriquecimento nutricional das refeições.

 

- Gaste menos em bebidas. Os refrigerantes (com ou sem gás) são bombas de calorias e açúcar. Ao reduzir (ou até mesmo eliminar) o seu consumo, economiza e diminui o aporte de calorias diárias. Opte por sumos de fruta naturais ou águas aromatizadas.

 

- Faça mais refeições em casa. Assim, controla todos os ingredientes que utiliza para confecionar, diminuindo o consumo excessivo de gordura e sal, encontrado nas refeições servidas em restaurantes.

15
Set17

O QUE NUNCA DEVE LEVAR PARA O AEROPORTO!!!!


Cátia Sofia Santos

 
 

Se vai viajar de avião, então saiba que existem alguns aspetos que deve ter em conta, antes de ir para o aeroporto. Segurança, conforto e funcionalidade são as três palavras-chave para quem tem de passar pelo controlo de bagagem, percorrer o aeroporto com uma mala e viajar durante várias horas até chegar ao seu destino. E não se esqueça de que a cultura e o clima podem ser muito diferentes do país de origem.

Além disso, os percursos de longa duração podem implicar várias escalas e tempos de espera nos aeroportos, bem como muitas horas dentro de um avião, pelo que vai ter necessidade de dormir. Como tal, nada melhor do que preparar-se para a viagem, de forma a garantir toda a comodidade e a rapidez no embarque, sobretudo se levar bagagem de mão consigo.

 

 

O que não deve usar quando vai de viagem

  1. Sapatos com muitas fivelas, saltos altos e chinelos

 

Antes de embarcar vai ter de passar pela segurança e, muitas vezes, é necessário tirar os sapatos para serem analisados no raio-x. Como tal, o calçado com muitas fivelas e atacadores torna-se mais difícil de tirar e de voltar a colocar, o que pode atrasar o processo no controlo de bagagem. Por outro lado, os sapatos de salto alto podem tornar-se um pesadelo, já que vai ter de transportar a bagagem de mão, percorrer o aeroporto e passar várias horas dentro do avião. Lembre-se de que os pés tendem a inchar durante o voo. Sem esquecer que se houver um acidente é importante que consiga deslocar-se com rapidez e facilidade. No caso dos chinelos e das sandálias, não se esqueça de que no avião a temperatura arrefece e o frio pode tornar-se desconfortável.

O que deve usar: Escolha sapatos fechados que sejam fáceis de descalçar e mantenham os pés quentes, durante o voo, como mocassins, sabrinas, loafers, ténis slip-on e botas com fecho. Escolha saltos mais largos e baixos, que são mais confortáveis. Leve também umas meias para usar no avião, se pretender descalçar-se. À chegada, pode sempre trocar o calçado por uns chinelos ou sapatos de salto alto, que pode levar na bagagem de mão.

  1. Pulseiras e colares de metal

O que nunca deve levar para o aeroporto

Lembre-se de que vai ter de retirar todos os acessórios - relógio, anéis, colares, brincos, pulseiras, ganchos e cinto - quando passar no controlo de segurança. Por isso simplifique este processo e leve apenas o essencial para o embarque. Por outro lado, todos os acessórios que possam ter utilizados como uma potencial arma, como é o caso de objetos pontiagudos, também não são permitidos a bordo. Outro aspeto importante, é que as mãos podem inchar durante o voo, podendo tornar-se desconfortável o uso de anéis e de pulseiras.

O que deve usar: Os lenços e écharpes são perfeitos, já que são confortáveis e protegem o pescoço e o decote do ar condicionado, tanto no aeroporto como durante o voo. Os colares mais longos também são mais fáceis de remover e de voltar a colocar. Além disso, pode sempre levar os acessórios numa bolsa à parte e usá-los depois de passar pelo controlo de segurança.

3. Líquidos acima dos 100 ml

Se levar bagagem de mão consigo, os produtos líquidos e em gel não devem exceder os 100 ml (ou 100 gr), devendo transportá-los num saco transparente com fecho. Não se esqueça de que todas as embalagens acima desta quantidade não são permitidas, pelo que será obrigada a deitá-las fora ou levá-las na bagagem de porão. Além disso, existe uma limitação ao nível da quantidade de produtos de higiene pessoal a transportar, já que estes devem caber num saco de plástico de 20 cm por 20 cm.

O que deve levar: Embalagens miniatura dos produtos, saquetas individuais e produtos travel size ou compactos, que ocupam menos espaço e são mais leves. Substituir fórmulas líquidas, por outros produtos, como por exemplo: o desmaquilhante por toalhitas e o gloss por um batom. Se levar frascos de vidro, como perfume, certifique-se de que estes vão devidamente acondicionados. Os produtos devem ser transportados numa bolsa de plástico, de forma a que se uma embalagem abrir ou rebentar não suje a roupa.

  1. Roupa muito justa e apertada

O que nunca deve levar para o aeroporto

Nada mais desconfortável do que passar horas sentada ou tentar dormir com uma roupa apertada. Como tal, todas as peças, que sejam demasiado justas podem criar pressão na região abdominal e prejudicar a circulação sanguínea nas pernas.

O que deve usar: Use umas calças compridas largas, leggings e jeans com elasticidade ou modelo boyfriend (mais largo), de modo a que possa mover as pernas mais facilmente. Os modelos com cintura elástica também são mais cómodos. As peças de algodão, como t-shirts e sweat-shirts, bem como os pullovers e casacos de malha, também são muito práticos e confortáveis para levar durante uma viagem, pois adaptam-se aos movimentos do corpo.

5. Cores muito claras

Ao passar muitas horas no aeroporto e no avião, lembre-se de que vai ter de comer em espaços apertados e de usar as casas-de-banho públicas. Por isso, não é de admirar que a roupa de cores mais claras se suje mais facilmente. E ninguém gosta de exibir nódoas e manchas de sujidade, não é verdade? Além disso, certifique-se de que a roupa que veste não amarrota muito, como é o caso do linho.

O que deve usar: Prefira peças de tonalidades mais escuras e tecidos que não enruguem muito, como o algodão, elastano e viscose. As fibras naturais também facilitam a respiração da pele, pelo que não acumulam tanto o cheiro a transpiração.

  1. Poucas camadas de roupa

O que nunca deve levar para o aeroporto

 

No verão, o que apetece mesmo é usar peças de alças finas, vestidos fluídos, saias, calções e chinelos, sobretudo se vai viajar para um destino de praia. No entanto, devido ao ar condicionado nos aeroportos e ao arrefecimento da temperatura durante o voo, é importante proteger-se do frio, de modo a evitar o desconforto e uma eventual constipação. Por esse motivo, os tops curtos, as saias e os calções vão deixar o seu corpo mais exposto às variações de temperatura.

O que deve usar: O truque é vestir-se por camadas. Ou seja, vestir roupas mais frescas e leves por baixo, como uma t-shirt, camisa ou blusa de alças, e depois acrescentar peças mais quentes, como um pullover, casaco ou lenço. Assim, pode facilmente acrescentar ou tirar as peças, de acordo com a temperatura. Se o seu destino for para um local mais frio, um pullover ou um casaco de malha quentes podem fazer toda a diferença à chegada. Se usar vestidos e saias leve consigo uns collants.

14
Set17

DE VOLTA ÀS ROTINAS SAUDÁVEIS!!!


Cátia Sofia Santos

Nesta altura do ano, após as férias de verão, muitas pessoas começam a planear retomar as suas rotinas habituais, e muitas gostam de reorganiza-las no sentido de ter um ano mais saudável. Veja algumas ideias.

 

Foto: freepik

 

 

Mas, como ter um ano mais saudável? Levar lancheira consigo para todo o lado, com a sua comida, selecionada por si e na quantidade certa, confecionada de forma saudável, é um excelente hábito a adquirir. Encontrar um bom horário e local para praticar exercício, outra das questões fundamentais para a saúde. Finalmente, dormir bem e apanhar algum sol sempre que possível!

 

Sendo profissional e mãe, e tendo as mesmas necessidades de planear, trago um conjunto de ideias, que eu própria pratico e que talvez possa ajudar:

 

Cozinhar sempre a mais

durante a semana o tempo para cozinhar pode ser escasso, e a falta de tempo é um problema transversal a quase todos nós. Por isso, sempre que cozinhar, aproveite e faça mais quantidade, distribuindo por caixas fáceis de conservar e de transportar na lancheira.

 

O fim-de-semana pode ser uma excelente oportunidade para cozinhar para a semana inteira e não toma muito tempo, se as confeções forem simples. Aposte em alimentos de qualidade, confecionados de forma bem simples. Para ter uma alimentação saudável o ano inteiro, eu uso esta estratégia. Quando, por alguma razão, não tenho comida feita, acabo por abrir um pacote de salada já lavada e juntar uma lata de atum ou sardinha ou cavala, e já está! Os snacks são bem mais fáceis de programar, caso os consuma: fruta, oleaginosas, etc., pois não necessitam de confecção prévia.

 

Encontrar um horário em que seja prático ir ao ginásio

As opções que costumam resultar melhor, segundo as pessoas que acompanho, são os horários matinais e de meio do dia, como hora de almoço. Nestes horários os ginásios estão, inclusive, mais vazios do que no final do dia. E quase toda a gente tem um dia mais energético e bem-disposto após ter realizado exercício físico. Se tem a sua lancheira consigo, a hora de almoço pode ser aproveitada para exercitar 30 minutos, tomar duche e almoçar, desde que tenha ginásio perto do trabalho.

 

Decidir dormir mais cedo

E acordar a tempo de tomar o pequeno-almoço, se for o caso, preparar a lancheira, etc. A decisão de dormir mais cedo é de extrema importância, e deve ser acompanhada do desligar de écrans e luzes fortes na zona da casa onde nos encontramos. Eu costumo deitar a minha filha às 21h, depois de lermos um pouco juntas, e pouco depois também eu vou dormir. No meu caso ajuda bastante ter decidido não ter televisão há bastante tempo. Assim temos uma vida mais tranquila, com mais tempo para atividades mais criativas e que sejam mais importantes para nós do que ver televisão. Como fazer exercício e preparar as nossas refeições.

13
Set17

COMO CONGELAR OS DIFERENTES TIPOS DE ALIMENTOS CORRETAMENTE!!!


Cátia Sofia Santos

Com a correria do dia-a-dia atual, o congelamento dos alimentos ou de algumas refeições é uma das opções mais saudáveis a considerar. Preserva os alimentos e é de acesso fácil. Veja como o fazer corretamente para cada tipo de alimento.

 

 

Foto: freepik

 

Para a maioria das pessoas, atualmente, começa-se a tornar impossível a confecção de uma refeição fresca diariamente. A correria do dia-a-dia faz com que tenhamos que usar cada vez mais alimentos ou refeições industrializadas, prontos para o consumo humano e cada vez menos alimentos frescos e ao natural.

 

Para tentar ultrapassar estas situações, uma das opções mais saudáveis é o congelamento dos alimentos ou parte de algumas refeições. O congelamento nada mais é do que a conservação dos alimentos através da temperatura bem fria (de -4ºC a – 23ºC).

 

A vantagem do congelamento é que preserva os alimentos e algumas preparações confeccionadas por longos períodos de tempo, sem se deteriorar (que duram um tempo maior quando comparados aos alimentos preservados em refrigeração). Além disso, é possível programar algumas refeições da semana, tendo sempre à mão uma “comidinha feita em casa” e bem mais saudável, com uma economia de tempo e dinheiro.

 

Etapas do congelamento

– Divida os alimentos em dois, separe os alimentos que ache de boa qualidade para um lado e limpe-os. Quanto ao outro grupo de alimentos, utilize-os para a preparação de uma refeição;

– Faça os procedimentos necessários para cada tipo de alimento (indicado abaixo);

– Coloque em embalagens adequadas, como sacos de plástico, frascos de vidro ou de plástico, filmes protetores próprios para os alimentos. Tenha o cuidado em colocar pequenas quantidades de alimento, e que sejam ideais para o consumo de uma refeição, tentando sempre retirar o ar da embalagem;

– Identifique a embalagem a congelar com uma etiqueta contendo um nome e a data de preparação do alimento ou da refeição;

– Coloque a embalagem no congelador a uma temperatura igual ou abaixo dos – 18º C;

– Conserve os alimentos congelados a uma temperatura de – 18ºC até 3 meses;

– Depois de descongelados, nunca volte a congelar os alimentos.

 

Congelamento de fruta

A fruta deve ser limpa e os caroços devem ser retirados. Coloque a fruta na quantidade exata para uma ou várias pessoas. Coloque uma etiqueta com a informação necessária na embalagem. A fruta congelada deve ser  consumida em preparações como bolos, tortas, gelatinas, entre outros.

 

Congelamento de vegetais/legumes

Para congelar os vegetais ou os legumes é necessário fazer uma técnica chamada de branqueamento. Técnica esta que preserva melhor as características do alimento como sabor, cor, textura, além de ocorrer também uma diminuição da atividade enzimática e da proliferação de bactérias.

 

O processo inicia-se aquando da separação das partes estragadas e de uma lavagem correta dos vegetais/legumes. Em seguida, deve-se submergir o alimento em água fervente e rapidamente colocá-lo em água fria, para que ocorra o choque térmico. Após o branqueamento, congela-se o alimento – etapas anteriormente descritas.
Congelamento de carne e peixe

As carnes, bem como as aves e o pescado, devem ser limpas e as partes não comestíveis (como a gordura em excesso) devem ser retiradas. Estes alimentos devem ser porcionados em quantidades que vão ser consumidos.

 

Congelamento de alimentos pré-confecionados

Prepare os alimentos com alguns temperos (ervas aromáticas ou especiarias) e não exceda o tempo de confeção, já que os alimentos serão aquecidos novamente. Após a preparação dos alimentos, coloque-os em embalagens adequadas, na quantidade a ser consumida numa refeição, e, de seguida, coloque a embalagem do alimento pronto sobre um recipiente com água fria e gelo, e em seguida no frigorífico. Após uma refrigeração convém transferir para o congelador.
Alimentos que não devem ser congelados

Ovos, maionese, chantilly, iogurtes, bananas, peras, vegetais de folhas, pudins em geral, tomates, batatas, pepinos, natas, queijos cremosos ou amanteigados, cremes engrossados e outros.
Descongelamento

Os alimentos devem ser descongelados sempre colocando o alimento no frigorífico, no micro-ondas ou à temperatura ambiente, no máximo por 4 horas, sempre colocado numa embalagem adequada.

 

 

Pág. 1/3

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Widgets